Páginas

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

OSCAR WILDE: UMA SÍNTESE EM CINQÜENTA E SETE FRASES

Nunca viajo sem o meu diário. Devemos ter sempre algo sensacional para ler no trem.

− Na América, os jovens estão sempre prontos para conceder aos mais velhos todos os benefícios de sua inexperiência.

− Gosto de homens com futuro e de mulheres com passado.

− Só existe uma coisa no mundo pior do que falarem de nós: é não falarem.

− Posso resistir a tudo, menos às tentações.

− Os homens se casam por cansaço. As mulheres, por curiosidade. E todos se decepcionam.

A única maneira de uma mulher mudar um homem é chateando−o tanto que ele acabe perdendo qualquer interesse pela vida.

− Gosto mais de pessoas que de princípios, e gosto de pessoas sem princípios mais do que de qualquer outra coisa no mundo.

Não me interesso por irmãos. Meu irmão mais velho teima em não morrer e meus irmãos mais novos parecem querer imitá−lo.

− Para voltar a ser jovem, eu seria capaz de qualquer coisa – menos fazer ginástica, levantar cedo ou me tornar respeitável.

Trinta e cinco anos é uma idade muito atraente. A sociedade londrina é cheia de mulheres nascidas em berço de ouro que – como elas próprias alardeiam – têm essa idade há anos.

− Seleciono meus amigos pela aparência, meus conhecidos pelo caráter e meus inimigos pelo intelecto. Um homem deve ser muito cuidadoso na escolha dos inimigos.

O riso não é um mau começo para uma amizade – e é, sem sombra de dúvida, a melhor maneira de se terminar uma.

− Nada mais perigoso do que ser demasiado moderno: corre−se o risco de sair de moda rapidamente.

Amar a si mesmo é o começo de um romance para toda a vida.

− A patologia vem se tornando rapidamente a base da literatura sensacionalista. Tanto quanto na política, também na arte há um grande futuro para os monstros.

No amor, é sempre uma questão de fisiologia. Não tem nada a ver com a nossa vontade: os jovens querem ser fiéis e não o são; os velhos querem ser infiéis e não conseguem.

− A arte é o nosso enfático protesto, nossa tentativa heróica de ensinar a natureza qual é o seu lugar verdadeiro.

− Os pecados da carne não são nada. São doenças a serem curadas pelos médicos, se for o caso de curá−las. Só os pecados da alma são vergonhosos.

− Qualquer um pode escrever um romance volumoso. Basta ser completamente ignorante sobre a vida e a literatura.

Muitas vezes as pessoas se perguntam que forma de governo mais convém ao artista. Só há uma resposta possível: a ausência absoluta de governo.

− A felicidade de um homem casado depende das pessoas com quem não se casou.

− Adoro ouvir falar mal dos meus parentes. É a única coisa que me faz suportá−los. Os parentes são um punhado de gente chata que não tem o menor conhecimento de como viver, nem a menor percepção de quando devem morrer.

− A maioria das mulheres é tão artificial que não tem senso artístico. A maioria dos homens é tão natural que não tem senso de beleza.

Toda vez que alguém faz algo realmente estúpido, é sempre pelos motivos mais nobres.

− O único encanto do casamento é tornar uma vida de decepções algo absolutamente imprescindível para ambas as partes.

− Nunca se deve praticar um ato sobre o qual não se pode falar depois do jantar.

− Ah, não diga que concorda comigo. Quando as pessoas compartilham a minha opinião, eu desconfio que estou errado.

− Prefiro perder meu melhor amigo ao pior inimigo. Para ter amigos, só é preciso boa índole; mas quando um homem não tem inimigos, certamente há algo de desprezível nele.

− O amor saiu completamente de moda. Os poetas o mataram. Escreveram tanto a respeito dele, que ninguém mais acredita em suas palavras – o que não me surpreende. O amor verdadeiro sofre e cala.

− Ser bom é estar em harmonia consigo mesmo. Os conflitos surgem quando se é forçado a entrar em harmonia com os demais.

− A conversa deve passar por tudo e não se concentrar em nada.

− Todo crime é vulgar, da mesma maneira que toda vulgaridade é crime.

− Nunca busquei a felicidade. Quem quer saber da felicidade? Minha procura é de prazer.

− Quando uma pessoa fala a verdade, ela pode ter certeza de que mais cedo ou mais tarde será desmascarada.

− Experiência é simplesmente o nome que os homens dão aos seus erros.

− Nunca confie numa mulher que diz sua verdadeira idade. Uma mulher que diz isso é capaz de dizer qualquer coisa.

− Hoje em dia, as pessoas sabem o preço de tudo e o valor de nada.

− É absurdo dividir as pessoas em boas ou más. Ou elas são interessantes ou são chatas.

− Os livros não se dividem entre morais e imorais: são bem escritos ou mal escritos, e isso é tudo.

− Sempre fui de opinião que a consistência é o último refúgio dos que não tem imaginação.

− Milagres sempre acontecem. É por isso que não podemos acreditar nele.

− Não tenho medo da morte. O que me aterroriza é a aproximação dela.

− Londres esta cheia de mulheres que confiam no marido. São reconhecíveis com grande facilidade: todas elas parecem extremamente infelizes.

− O motivo pelo qual gostamos de pensar tão bem dos outros é que tememos por nós mesmos. A base do otimismo é o terror absoluto.

− Quem não vê diferença entre alma e corpo carece de ambos.

− Se as classes baixas não dão bons exemplos, que serventia têm? Elas não parecem ter o menor senso de responsabilidade moral!

− Os fiéis conhecem apenas o lado trivial do amor. Só os infiéis conhecem suas tragédias.

− O senhor nunca veio a uma das minhas festas, não é mesmo? Pois precisa vir. Eu não posso me dar ao luxo de ter orquídeas, mas não faço economia no tocante a estrangeiros: eles dão um toque tão pitoresco ao ambiente!

− Detesto discussões. São sempre vulgares e, muitas vezes, convincentes.

− Sempre passo adiante os bons conselhos. É a única coisa a ser feita. Eles nunca servem para nós mesmos.

− As pessoas falam muita bobagem sobre casamentos felizes! O homem pode ser feliz com qualquer mulher, contanto que não a ame.

− A arte nunca deve tentar ser popular. O público é que deve tentar tornar−se artístico.

− Se o conheço? Conheço−o tão bem que não falo com ele há dez anos.

− As pessoas deveriam estar sempre apaixonadas. É por isso que nunca deveriam se casar.

− Estamos todos na sarjeta, mas alguns de nós olham para as estrelas.

11 comentários:

  1. Adorei , Wilde , uma mente brilhante....

    ResponderExcluir
  2. Tudo do Wilde parece sempre tão atual...
    Obrigado por trazer essas palavras Raul

    ResponderExcluir
  3. Armin: Wilde é "wilder" (perturbador), selvagem, agressivo, sincero e, como você assinalou, sempre atual!

    ResponderExcluir
  4. Muito boa a postagem!
    Tudo de bom
    Mil cores na sua vida

    ResponderExcluir
  5. A-D-O-R-E-I E OSCAR WILDE COMO SEMPRE SEM IGUAL...

    ResponderExcluir
  6. Caríssimo, "Quero matar meu chefe" é uma comédia elizabetana, com diálogos vitorianos, que poderiam ter sido escritos hoje por Oscar Wilde. Um sujeito de zombaria infinita.
    Rafael.

    ResponderExcluir
  7. Rafael: Concordo com a observação sobre Wilde. Sobre o filme, não.

    ResponderExcluir